Weby shortcut
Link Facebook

Centro Cultural UFG apresenta: "Companhia"

"Companhia" é uma transcriação do drama-poema de Samuel Beckett. Esta nova montagem do Máskara - Grupo de Pesquisa Transdiciplinar de Pesquisas em
Teatro, Dança e Performance - é parte de intensas atividades que se iniciaram em 2002, com vários espetáculos que tem se apresentado em vários teatros no Brasil. 

Durante o ano de 2009 apresentamos "Senhora dos Afogados", de Nelson Rodrigues. Esta volta à Beckett é resultado da inquietação deixada pela montagem de "Esperando Godot", apresentada durante os anos 2005-2007 em várias cidades brasileiras, com grande sucesso. 

"Companhia" estreou em 2009 no importante IV Festival Beckett de Buenos Aires.

Esta montagem conta com o apoio da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás, da Fundação de Amparo á Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG), da Pro-Reitoria de Extensão da UFG.

SAMUEL BECKETT

Prêmio Nobel de 1969, é um contista e dramaturgo extraordinário. Nasceu em 13 de Abril de 1906 Dublinn na Irlanda. É um dos maiores e mais inquietantes escritores da literatura mundial e um dos mestres de um teatro que não escolheu o seu nome, o Teatro do Absurdo. Sua obra mais conhecida é "Esperando Godot", encenada por nós em 2005/2006, onde podemos encontrar características marcantes da sua complexa e variada obra dramática. 

Os persoangens de Beckett não desejam esperança, nem buscam mudar o mundo e o seu sofrimento ou alegria não tem nada de heróico e às vezes possui algo de cômico. Além disso, em sua obra o tempo cronológico é outro, é o tempo incerto da memória e das lembranças. É um tempo/espaço vazio, o mesmo vazio que caracteriza as ações, muitas vezes repetitivas, muitas vezes tem-se a idéia de andar em círculos. 

Companhia é um dos mais fascinantes textos de Samuel Beckett. Escrito em inglês, este conto/romance foi depois traduzido por ele mesmo ao francês e depois, adaptado novamente ao inglês. Beckett começou a escrever Companhia em maio 
de 1977.

Companhia tem 59 parágrafos, referência implícita ao circulo quase completo do relógio. 15 desses parágrafos falam de uma cena do passado. Aparentemente o passado de quem está de costas no escuro. A frase de abertura é: “uma voz vem para alguém no escuro. Imagine”. À parte da voz e da pessoa que escuta, há uma outra pessoa, um “outro”. Esta voz fala em segunda pessoa.

Esta encenação feita pela Companhia Máskara procura encontrar o diálogo entre estas vozes outras beckettianas. Personas que olham, sentem e buscam o tempo que passa.

FICHA TÉCNICA

Texto: Samuel Beckett

Atuação: Mariana Tagliari, Ronei Vieira, Valéria Livera 

Concepção visual e encenação: Robson Corrêa de Camargo

Iluminação: O Grupo

Operação de Som: Clécia Sant’Anna

Produção: Ronei Vieira

Duração: 50 minutos

Contato: roneivieiraator@hotmail.com / maskaranucleodepesquisa.blogspot.com

AGRADECIMENTOS:

Patricio Orozco do IV Festival Beckett de Buenos Aires, Escola de Música e Artes 

Cênicas da Universidade Federal de Goiás, Fundo de Amparo Á Pesquisa do 

Estado de Goiás, Pró Reitoria de Extensão e Cultura da UFG, Luz Marina 

Alcântara do Centro de Estudos e Pesquisa Ciranda da Arte e todos aqueles que contribuíram diretamente e indiretamente para a realização desse trabalho.

Categorias: Notícias